É só o começo!

Postado em 16 de julho de 2018

 

É da nossa natureza! Começamos há 24 anos a seguir normas de bem-estar animal (mesmo antes de serem oficialmente escritas), criando aves livres de antibióticos e com alimentação 100% vegetal. Crescemos assim, gerando tecnologia e inovação para a produção de alimentos saudáveis e com energia vital, respeitando a natureza, a prosperidade do produtor e promovendo a saúde do consumidor.

 

Todos os frangos Korin são criados:

 

  • Sem antibióticos terapêuticos

Uma das maneiras de ministrar antibióticos em animais é de forma terapêutica, assim como os humanos usam quando ficam doentes, com prazo e dose determinados. A Korin não realiza esta prática, uma vez que investe na saúde do animal (veja como nos próximos tópicos).

  • Sem antibióticos promotores de crescimento

A maneira mais problemática de recorrer a antibióticos na produção animal é utilizando-os como promotores de crescimento, com o objetivo de aumentar a conversão alimentar, para que cresçam mais rápido e possam ser abatidos em menor tempo. Ministrar pequenas doses de antibióticos, diariamente, aos animais é a forma mais perigosa de abrir caminho para o surgimento de bactérias resistentes (superbactérias), o que, muitas vezes, não pode ser controlado, nem mesmo com múltiplas drogas. Cientistas já constataram um aumento da resistência das bactérias aos antibióticos nas últimas décadas. Tais bactérias, uma vez em ambientes sensíveis como hospitais podem, facilmente, se espalhar por toda a comunidade.

  • Sem quimioterápicos (ionóforos, anticoccidianos e antimicrobianos)

Os antibióticos podem ser utilizados de forma isolada ou junto a quimioterápicos (substâncias químicas produzidas por síntese laboratorial) para promover o crescimento e/ou a eficiência alimentar ou prevenir/controlar as doenças que afetam os animais (BELLAVER, 2000). Entretanto, podem provocar problemas graves à saúde do homem, como toxicidade, alergias e desenvolvimento de resistência (McMULLIN, 2004), o que tem alertado cientistas de todo o mundo, graças ao risco eminente à saúde pública. Em janeiro de 2006, o uso de antimicrobianos como promotores de crescimento em animais foi banido pela União Européia. No Brasil essa prática ainda é permitida.

  • Com certificação de bem-estar animal

A empresa foi a primeira no Brasil a receber o selo internacional de bem-estar animal, Certified Humane, em 2009. Mesmo antes do selo, em 1994, a Korin já investia em tecnologia e inovação, trazendo para o País a proposta de uma produção de frangos e ovos que tinha, em essência, o bem-estar e o respeito às aves.

  • Ração 100% de origem vegetal

A Korin não utiliza farinha de carnes, penas e vísceras na composição da ração das aves que, por sua vez, é 100% vegetal, à base de milho e soja. Processo inspecionado pela certificadora WQS (World Quality Services).

  • Com nutrição funcional

Como alternativa aos antibióticos, desenvolvemos uma nutrição balanceada e funcional para as nossas aves, fazendo uso de:

– PROBIÓTICOS: microrganismos vivos capazes de se instalar e se proliferar no trato intestinal, competindo por espaço e substrato com microrganismos patogênicos, promovendo o reequilíbrio da microbiota natural do indivíduo.

– PREBIÓTICOS: ingredientes que, no trato gastrointestinal, promovem o crescimento e estabelecimento das bactérias benéficas, assim como a eliminação de microrganismos patogênicos, aumentando assim, a ação dos probióticos.

– FITOGÊNICOS: obtidos a partir de vegetais, como o alho, são incorporados à ração das aves para proporcionar maior variedade nas fontes alimentares, promovendo, assim, versatilidade da microbiota intestinal do animal, otimizando o seu desempenho e melhorando a conversão alimentar.

– ÓLEOS ESSENCIAIS: melhoram a absorção de nutrientes e a qualidade intestinal, funcionando como um selecionador de bactérias benéficas ao organismo animal.

  • Com produção familiar

A Korin mantém parceria com produtores familiares, com a preocupação de preservar a cultura e o bem-estar do homem do campo, valorizando seu trabalho e evitando a evasão dos pequenos produtores das regiões rurais.

  • Com preservação ambiental

O polo de Agricultura Natural, em Ipeúna, está inserido entre duas Áreas de Proteção Ambiental, a APA Corumbataí-Botucatu Tejupá e a APA Piracicaba Juqueri-Mirim. Por conta da convivência harmônica entre meio ambiente e atividades agrícola e avícola, nosso polo foi avaliado positivamente sob o ponto de vista de indicadores socioambientais desenvolvidos pela Embrapa Meio Ambiente na criação da metodologia APOIA – NovoRural (RODRIGUES; CAMPANHOLA, 2003), que visa a melhoria da gestão ambiental de atividades rurais.

É importante lembrar que os resíduos dos antibióticos usados na indústria animal chegam ao meio ambiente de diversas formas, seja pelas fezes e urina dos animais que pastam, ou pela utilização de esterco animal na adubação de culturas, contaminando vegetais consumidos pelos seres humanos, inclusive os orgânicos. Os resíduos também impactam negativamente na vida de seres aquáticos e terrestres e favorecem a resistência de micro-organismos aos antibióticos.

  • Com critérios de sustentabilidade

Por ser pioneira na produção de frangos livre de antibióticos, a Korin precisou construir um mecanismo de certificação que fosse capaz de transmitir as informações inerentes a esse processo para o consumidor. A certificação teve como base as normas da Associação de Avicultura Alternativa (AVAL) e, desde 2008, o processo é inspecionado pela certificadora WQS (World Quality Services).

  • Sem conservantes e hormônios

Como todo o frango in natura produzido no Brasil.

  • Com espiritualidade

Reconhecemos a existência do sentimento e do espírito em todas as coisas: nos animais, nos vegetais e nos demais seres. União, trabalho competente e espiritualidade geram resultados cada vez mais positivos, garantindo, com isso, a viabilidade da atividade. Reconhecer a missão espiritual dos alimentos é contribuir para elevar a sua qualidade e o seu valor biológico.