EUA registram o 2º caso de bactéria resistente a todos os antibióticos

Postado em 29 de junho de 2016

Paciente em Nova York foi infectado com uma bactéria portadora de gene que a torna resistente até mesmo aos antibióticos usados como último recurso

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Os Estados Unidos identificaram o segundo caso de infecção por uma bactéria ultrarresistente até mesmo a antibióticos usados como último recurso.

Segundo o jornal científico Antimicrobial Agents and Chemotherapy, o caso foi identificado em Nova York. Virologistas identificaram o gene raro MRC-1, em um paciente infectado com uma cepa da E. coli.

O MRC-1 é altamente perigoso porque torna a bactéria E. coli resistente a todos os antibióticos, incluindo a Colistina, potente antibiótico usado como último recurso em infecções por E. coli.

Segundo virologistas, o gene MRC-1 se instala em um pequeno fragmento do DNA microbial e consegue blindar a bactéria da ação de todos os antibióticos produzidos atualmente. Ainda segundo estes, o gene é uma grande ameaça, pois tem potencial para se mover de uma bactéria para outra. O maior temor é que ele se espalhe por várias cepas, tornado-as ultrarresistentes.

Segundo Lance Price, especialista em políticas de saúde da George Washington University, EUA, o cenário seria catastrófico. “Estamos perto de presenciar o aparecimento de enterobactérias impossíveis de tratar com antibióticos”, disse Price, em entrevista ao Telegraph.

Para impedir que o cenário catastrófico se concretize, cientistas vêm rastreando o alastramento do MRC-1 pelo mundo desde 2015, quando ele foi descoberto em pacientes, aves e porcos infectados na China.

O primeiro caso de infecção por bactéria E. coli portadora do gene MRC-1 nos EUA foi identificado em maio deste ano, em uma mulher de 49 anos internada com infecção urinária na Pensilvânia. A paciente conseguiu se recuperar da infecção.

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC) anunciou que vai criar uma rede de laboratórios especial, destinada a responder rapidamente a casos de bactérias E. coli portadoras do MRC-1. A expectativa é que eles entrem em operação em setembro deste ano.

Fonte: http://opiniaoenoticia.com.br/internacional/eua-tem-o-2o-caso-de-bacteria-resistente-todos-os-antibioticos/
http://www.telegraph.co.uk/news/2016/06/28/second-american-patient-found-with-superbug-resistant-to-antibio/

A Korin acredita que o uso indiscriminado de antibióticos na produção animal eleva a possibilidade do aparecimento superbactérias. Por isso, não utiliza nenhum antibiótico, nem como promotor de crescimento, nem de forma terapêutica na criação dos frangos, galinhas poedeiras, bovinos e  peixes.