Método de produção da brasileira Korin alcança o maior produtor de frango dos EUA.

Postado em 23 de fevereiro de 2017

A maior processadora de carnes dos EUA, Tyson Foods, visitou a Korin em 2014 para aprender mais sobre o método de produção livre de antibióticos. Na visita ficaram surpresos com a sanidade dos animais e por ser a Korin a única empresa, então, que produzia totalmente livre de antibióticos.

Tyson Foods irá eliminar o uso de todos os antibióticos de seus frangos com a marca Tyson vendidos no varejo em junho. O anúncio foi feito em 21 de fevereiro durante a conferência Consumer Analyst Group de Nova York (CAGNY).
“Isso significa que a Tyson vai vender mais, vai alimentar mais pessoas com frangos sem antibióticos do que qualquer outra empresa no mundo”, Sally Grimes, o Diretor de Crescimento Global da Tyson Foods, disse na conferência.
O movimento segue um anúncio de 2015 de que a Tyson eliminaria o uso de antibióticos também usados em medicina humana em seus frangos de corte nos Estados Unidos. Foi declarado na ocasião que completaria a transição até Setembro de 2017.
A transformação faz parte de uma campanha para reorientar o negócio de proteína animal e é uma vitória para os grupos de consumidores ligados à alimentação natural, que têm pressionado as empresas do setor.
O Departamento de Alimentação dos EUA (FDA, na sigla em inglês) determinou que as indústrias encerrassem a aplicação de antibióticos para fins de engorda de animais até o fim do ano passado. Os consumidores, no entanto, estão querendo que companhias como o McDonald’s vão mais longe e reduzam o uso em toda cadeia de carnes.

“Visita à Korin”

A fim de suprir essa exigência do mercado consumidor, a Tyson foi em busca de empresas que já produziam utilizando o método livre de antibióticos. A Korin, empresa brasileira pioneira em estabelecer um processo produtivo, em escala industrial, de produção de frangos e ovos, com bem-estar animal, sem o uso de antibióticos, de promotores de crescimento, de quimioterápicos e de ingredientes de origem animal na dieta das aves, despertou o interesse da Tyson para conhecer de perto este processo, pois, dentre muitas outras empresas visitadas em vários países que alegavam o não uso de antibióticos, nenhuma delas possuía, de fato, um processo de total isenção como o que a Korin desenvolveu.
No fim de 2014, representada por Scott Gustin, diretor de serviços veterinários, e Scott Patey, diretor associado, realizou uma visita ao Polo Produtivo da Korin em Ipeúna.

Tyson visita Korin

Durante esta visita, os representantes da Tyson puderam conhecer a missão, os valores, os fundamentos filosóficos e a estrutura produtiva da Korin, como o abatedouro, a fábrica de ração da empresa e a estrutura laboratorial, da fazenda da Korin e do Centro de Pesquisa Mokiti Okada (instituição parceira em trabalhos de pesquisa e desenvolvimento). Também tiveram a oportunidade de conhecer a produção de ovos e frangos AF (livres de antibióticos) da linha sustentável de cinco produtores integrados da região. “Os veterinários da Tyson disseram estar bastante admirados com os resultados de elevada sanidade dos animais tanto durante a visita no abatedouro, quanto nas granjas dos integrados. De fato, eles se surpreenderam muito e reiteradamente comentaram a respeito dos bons resultados na saúde e na produtividade dos animais”, complementa o diretor da Korin.

Tyson-Korin2

Ainda segundo Demattê, “é gratificante saber que empresas de grande porte e de países desenvolvidos, como a Tyson, estejam interessadas em conhecer práticas que promovam a saúde humana, como as adotadas pela Agricultura Natural.” Reginaldo Morikawa, diretor-superintendente da Korin, enfatiza o quanto este fato demonstra como a filosofia de Mokiti Okada é inovadora e, uma vez posta em prática, é capaz de antecipar tendências que só serão compreendidas muitos e muitos anos à frente. “Os ensinamentos de Mokiti Okada estão sendo aplicados para concretizar a construção de um mundo com uma vida mais saudável, próspera e feliz, e a Korin é uma das ferramentas para esta grande construção”, explica.

“Um processo de aprendizagem”

Noel White, diretor de operações da Tyson Foods, disse que a empresa vem considerando o afastamento do uso de antibióticos há vários anos.
“É um processo em que estamos trabalhando há algum tempo”, disse White. “Nós declaramos há um ano que nós eliminaríamos o uso de antibióticos de uso humano neste outono, e estamos adiantados em fazer isso. No outono, estaremos completamente livres de antibióticos na marca Tyson.
“Tem sido um processo de aprendizagem ao longo dos últimos dois anos. Não há uma coisa singular que contribua para permitir que façamos isso. É uma grande demanda de ações que tomamos que nos permitem ser livres de antibióticos. “

White acrescentou que havia um grande custo envolvido na criação de frangos sem antibióticos, mas que o custo diminuiu nos últimos meses, permitindo assim que a Tyson Foods faça a mudança.
O movimento de Tyson deslocará uma parcela significativa da produção de aves de corte dos EUA para longe do uso regular de antibióticos. A empresa processa mais de um quinto de todas as aves nos Estados Unidos e abate cerca de 35 milhões por semana em 45 plantas domésticas.

“Os frangos doentes continuarão a ser tratados”

Se um frango ficar doente, a Tyson Foods assegurará que eles sejam tratados, disse White.
“Essa é a razão pela qual você não nos ouviu dizer que tudo estará 100% livre de antibióticos”, disse White.
Mas há “realmente números muito pequenos” de frangos que ficam doentes, acrescentou.
No entanto, há opções de tratamento sem antibiótico disponíveis, e White disse que a Tyson Foods continuará trabalhando no caminho da produção de frango 100% livre de antibióticos.

Fonte: Dow Jones Newswires.