31 de março – Dia da Saúde e da Nutrição

em 27 de mar de 2023

Dia para refletir sobre a relação de sua saúde com sua alimentação

por Karen Longo, consultora em Nutrição Korin

Dia da Saúde e Nutrição

Dia 31 de março é comemorado o “Dia Nacional da Saúde e da Nutrição”.

Iniciado no ano de 2015 e comemorado anualmente até hoje, essa data faz parte do calendário oficial do Ministério da Saúde e tem o objetivo principal de conscientizar a população sobre a importância da saúde e da boa alimentação.

Esse dia é escolhido para que as pessoas possam pensar na sua própria saúde e hábitos alimentares. Também serve para que as instituições, públicas e privadas, reflitam sobre como podem contribuir para um desenvolvimento sustentável nessa área.

A alimentação tradicional do Brasil é rica em nutrientes e beneficiada com uma grande biodiversidade. Porém, nos últimos anos, com a vida intensa das grandes cidades, aumento de oferta de alimentos industrializados e transição cultural de prioridades, os hábitos alimentares que já foram mais saudáveis, desde a época dos nossos avós, têm sido deixados de lado.

Mais do que satisfazer a fome, ter uma boa alimentação significa contemplar o consumo de nutrientes necessários para o bom funcionamento do corpo humano, o que traz melhor qualidade de vida e verdadeira saúde.

Pensando ainda em saúde ampliada para a sustentabilidade, é importante lembrar o quanto nossas escolhas alimentares impactam a saúde do meio ambiente e o quanto os processos envolvidos na produção de alimentos trazem consequências benéficas ou deletérias para todos nós.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda, por meio da Estratégia Global para a Promoção da Alimentação Saudável, Atividade Física e Saúdeque os governos formulem e atualizem periodicamente as diretrizes nacionais sobre alimentação e nutrição, levando em conta mudanças nos hábitos alimentares, nas condições de saúde da população e o progresso no conhecimento científico.

No escopo das ações do governo brasileiro para a promoção da saúde e da segurança alimentar e nutricional, o Ministério da Saúde publicou o Guia Alimentar para a População BrasileiraPromovendo a Alimentação Saudável, com as primeiras diretrizes alimentares oficiais para a nossa população.

O Guia Alimentar para a População Brasileira, publicado pela primeira vez em 2006 e reeditado em 2014, é um documento criado pelo Ministério da Saúde que aborda os princípios e as recomendações de uma alimentação adequada e saudável e tem como objetivo não só a manutenção da saúde da população, como também dar bases para a educação alimentar e nutricional e resgatar a riqueza da alimentação tradicional brasileira.

Algumas dicas preciosas do Guia Alimentar para a População Brasileira para serem colocadas em prática:

  • Fazer de alimentos in natura ou minimamente processados a base da alimentação
  • Utilizar óleos, gorduras, sal e açúcar em pequenas quantidades ao temperar e cozinhar alimentos e criar preparações culinárias
  • Priorizar nas refeições o consumo de frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais
  • Limitar o consumo de alimentos processados
  • Evitar o consumo de alimentos ultraprocessados
  • Atentar-se para a hidratação com ingestão adequada de água
  • Comer com regularidade e atenção, em ambientes apropriados e, sempre que possível, com companhia
  • Fazer compras em locais que ofertem variedades de alimentos in natura ou minimamente processados
  • Desenvolver, exercitar e partilhar habilidades culinárias
  • Planejar o uso do tempo para dar à alimentação o espaço que ela merece
  • Dar preferência, quando fora de casa, a locais que servem refeições feitas na hora
  • Procurar conhecer a origem e formas de produção do alimento, que interferem em sua composição final e impacto para o meio ambiente
  • Ser crítico quanto a informações, orientações e mensagens sobre alimentação veiculadas em propagandas comerciais

Para garantir mais saúde é essencial ter no prato: menos alimentos industrializados e mais alimentos naturais!

Alimentação adequada e saudável é um direito humano básico que envolve a garantia ao acesso, permanente e regular, de forma socialmente justa, a uma prática alimentar adequada aos aspectos biológicos e sociais do indivíduo e que deve estar em acordo com as necessidades alimentares especiais; ser referenciada pela cultura alimentar e pelas dimensões de gênero, raça e etnia; acessível do ponto de vista físico e financeiro; harmônica em quantidade e qualidade, atendendo aos princípios da variedade, equilíbrio, moderação e prazer; e baseada em práticas produtivas adequadas e sustentáveis.

 

Fontes:

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa de Orçamentos Familiares 2017-2018: Análise do Consumo Alimentar Pessoal no Brasil. Rio de Janeiro, 2020. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/populacao/24786-pesquisa-de-orcamentos-familiares-2.html

Ministério da Saúde – Guia alimentar para a população brasileira

https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_alimentar_populacao_brasileira_2ed.pdf

Experimente também: