Um dos grandes diferenciais da produção orgânica e sustentável da Korin é a alimentação dos animais, especificamente galinhas, frangos e bovinos. 

As aves da Korin são alimentadas à base de grãos, como o milho e a soja, além de extratos de ervas e plantas naturais, probióticos e probióticos, o que faz com que os animais sejam mais saudáveis ao longo da vida.
Os grãos são cultivados sem o uso de sementes transgênicas, com tecnologia pioneira desenvolvida ao longo de mais de 15 anos pelo Grupo Korin.
Assim, as aves Korin não recebem alimentação com farinhas de carne, por exemplo, podendo, eventualmente, no caso dos frangos orgânicos, caipiras e galinhas poedeiras, comer pequenos insetos durante os passeios diários ao ar livre.
De acordo com pesquisa realizada pelo departamento de zootecnia da Universidade Federal de Viçosa*, a extensa produção pecuária brasileira gera um volume alto de “subprodutos” de origem animal que acabam sendo incorporados nas rações de aves e suínos.
Por outro lado, a adição de farinhas de carne, vísceras e penas nas rações de animais monogástricos como os frangos, pode ser desconsiderada quando há a possibilidade de fornecer à ave uma ração à base de grãos. Isso porque, de acordo com o estudo, a alimentação com proteína animal pode gerar diferença no processamento, reduzindo o valor nutritivo das farinhas.

Outro ponto é que é cada vez maior a restrição da população de alguns países desenvolvidos e no Brasil em consumir carne de animais alimentados com subprodutos da produção animal.
Segundo a pesquisa, até a década de 1960, para obter maior desempenho dos frangos de corte, uma das alternativas encontradas pela indústria era a inclusão de subprodutos de origem animal na alimentação diária das aves. Com o passar dos anos e com a “evolução dos conhecimentos nas áreas de composição de alimentos e de exigências nutricionais, assim como da produção industrial de aminoácidos, minerais e vitaminas, tornou-se possível elaborar rações somente com ingredientes vegetais” que resultam em ótimo desempenho de frangos e galinhas.

Fonte: http://www.cnpsa.embrapa.br/sgc/sgc_publicacoes/anais0204_bsa_rostagno.pdf