Benefícios nutricionais do Filé de Truta Arco-Íris

em 25 de maio de 2023

Karen Longo*

Considerado como uma fonte alimentar de boa qualidade nutricional, por pessoas onívoras (que consomem alimentos de origem vegetal e animal), os peixes fornecem ao ser humano nutrientes interessantes que garantem manutenção à saúde.

Porém, alguns peixes se diferenciam em benefícios por oferecerem, além de adequado aporte proteico para reconstrução de tecidos, compostos que otimizam respostas celulares na manutenção do metabolismo e modulação da resposta inflamatória.

 

Vamos entender melhor?

Composição nutricional dos peixes e sua relação na proteção à saúde:

Ácidos graxos poliinsaturados

Quando falamos das vantagens da composição nutricional dos peixes, é importante ressaltar que como fonte de gordura, os peixes contém ácidos graxos poli-insaturados, os conhecidos PUFAs, que são qualidades de lipídeos que regulam várias vias de sinalização celular, que controlam: a expressão de genes que regulam a diferenciação de adipócitos (que são as células de gordura do nosso organismo), a homeostase da glicose e de lipídeos e o armazenamento de ácidos graxos.

De modo geral: controlam a formação de novas células de gordura e resistência à insulina, prevenindo quadros metabólicos que poderiam levar à obesidade e diabetes.

 

*Ácidos graxos ômega 3

Entre a família dos ácidos graxos poliinsaturados (PUFAs), temos ainda presente na composição de alguns peixes uma classe de ácidos graxos muito especial, o Ômega 3.

O ômega 3 está presente em alguns peixes, como sardinha, atum, arenque, salmão e truta.

Considerado um ácido graxo de grande benefício à saúde, pela presença de EPA e DHA, esse nutriente oferece proteção neurológica, prevenindo doenças como Alzheimer e Parkinson. Além de beneficiar o sistema imunológico, modulando a cascata inflamatória otimizando respostas de inflamação frente à adversidades como infecções e alergias.

Vale ressaltar que o consumo desse nutriente, ômega 3, é ainda atingido por parte da população de forma menor do que o necessário, devido ao hábito cultural de baixo consumo de peixes em algumas culturas e regiões, sendo esse alimento uma das fontes em grande abundância.

 

Diferencial da Truta Korin, como alimento benéfico à saúde

A truta é um peixe da família dos salmonídeos, presente em praticamente todas as águas do mundo, que pode ser criada em fazendas de aquacultura, de forma controlada, o que torna fácil o acesso a esse alimento.

A truta apresenta naturalmente em sua composição o ácido graxo poliinsaturado ômega 3, que a torna como alimento, uma excelente opção à manutenção da saúde cerebral e proteção anti-inflamatória, como vimos acima.

A Korin produz além da espécie Truta Branca, de carne com coloração branca e também a Truta Arco-Íris, que apresenta coloração rosada, devido ao acréscimo de carotenoides em sua ração.

Os carotenoides são uma família de pigmentos abundamente encontrados na natureza. Eles são os responsáveis pelas cores que vão do amarelo ao vermelho em diversas plantas e podem estar presentes em alguns animais, que consumam fontes desse nutriente.

Além de dar cor aos seres vivos, os carotenoides são potentes antioxidantes. Isto é, são excelentes protetores das células do corpo, atuando na prevenção de diabetes e doenças cardiovasculares como aterosclerose e pressão alta.

 

Metodologia de criação de peixes em aquacultura

Atualmente a adoção de antibióticos na aquacultura ocorre em grande escala, para o controle de doenças causadas por infecções bacterianas nos peixes.A quantidade de antibióticos usada nas unidades de produção pode ser extremamente variável e em alguns casos os antibióticos empregados pela aquicultura não são produtos desenvolvidos especificamente para combater patologias de uma espécie específica.

A principal preocupação com o modelo atual de criação de peixes em métodos convencionais, é o surgimento de bactérias resistentes, que podem ser transferidas para o homem. Como consequências diretas temos o aumento da frequência da ineficiência dos tratamentos, aumento da severidade das infecções, prolongamento da duração das doenças, aumento na frequência de infecção na corrente sanguínea, hospitalização e mortalidade.

Além dos benefícios da ração controlada, com ingredientes naturais ao consumo dos peixes o mecanismo de criação de Truta Rosa da Korin não utiliza hormônios nem antibióticos, o que protege à saúde do consumidor contra o efeito nocivo desses resíduos, em alteração do sistema imunológico e hormonal para o ser humano.

 

Consumo de peixes selvagens x Contaminação por mercúrio

A bioacumulação de mercúrio em peixes selvagens é um processo complexo impulsionado por fatores ambientais e biológicos. O mercúrio é emititido na atmosfera através de fontes naturais e antropogênicas e depositado na paisagem, onde pode ser exportado para sistemas de água doce.

O mercúrio, especificamente metilmercúrio (MeHg), é uma neurotoxina que pode ser transferido para o ser humano através do consumo de peixes selvagens contaminados.

Fatores biológicos podem mediar concentrações de mercúrio em peixes, frequentemente associadas a tamanho do corpo, idade e nível trófico.

Assim, por ordem bioacumulação da cadeia alimentar as espécies selvagens de maior porte como: Atum, Salmão, Cação, etc. tendem a apresentar maior concentração de mercúrio, quando comparadas a espécies menores.

Nesse sentido, os peixes de criação em fazendas de aquacultura, com condições ambientais controladas não apresentam contaminação de mercúrio, por não estarem expostos às condições ambientais citadas acima.

 

Referências:

 Chen, J. et al. A critical review on the health benefits of fish consumption and its bioactive constituents. Food Chemistry 369 (2022) 130874

Chayakrit Krittanawong, M.D. et al. Fish Consumption and Cardiovascular Health: A Systematic Review. The American Journal of Medicine, Vol 134, nº6, Jun 2021.

Donadt, C. et al. Mercury bioaccumulation in stream fish from an agriculturally-dominated watershed. Chemosphere 262 (2021) 12805

Brizio, P. et al. Astaxanthin and Canthaxanthin (Xanthophyll) as Dietary Supplements for Rainbow Trout: In Vivo Evaluation of Residual Levels and Contributions to Human Health Agric. Química Alimentar. 2013 , 61 , 46 , 10954–10959

Uso excessivo de antibióticos afeta produção de peixes – in: https://www5.usp.br/noticias/meio-ambiente/uso-excessivo-de-antibiotico-afeta-producao-de-peixes/#:~:text=especifica%C3%A7%C3%B5es%20de%20uso.-,Antibi%C3%B3ticos,at%C3%A9%20causar%20mortalidade%20dos%20peixes.

 

RECEITA SAUDÁVEL E SABOROSA COM TRUTA ROSA KORIN

 

FILÉ DE TRUTA-ARCO-ÍRIS KORIN AO MOLHO DE MARACUJÁ

Ingredientes

  • 2 maracujás azedos
  • 2 colheres de sopa de manteiga
  • 1 cebola pequena picada
  • 1/2 xícara de salsa picada
  • 500g de filé de TRUTA-ARCO-ÍRIS KORIN

 

Modo de preparo:

Comece preparando o molho de maracujá. Corte os maracujás ao meio, coloque a polpa no liquidificador e bata por 30 segundos. Coloque o suco em uma peneira, reserve o suco e elimine as sementes.

Derreta a manteiga, junte a cebola e refogue um pouquinho. Acrescente a salsa e o suco de maracujá, misture e deixe ferver. Tempere com sal e pimenta a gosto e deixe cozinhar por 5 minutos.

Tempere o filé de truta-arco-íris Korin com sal e pimenta a gosto. Aqueça uma frigideira e coloque o azeite. Quando estiver bem quente frite a truta dos dois lados por 4 a 5 minutos, de cada lado, tomando o cuidado de não ficar virando muitas vezes.

Coloque a Truta já frita no prato e jogue o molho bem quente.

Pode enfeitar com sementes de maracujá.

 

Karen Longo* é nutricionista e consultora em nutrição da Korin Alimentos

Experimente também: