Café: saiba mais sobre a bebida que é paixão nacional

em 20 de out de 2023

Da descoberta de sabores e aromas à produção orgânica

por Caroline Franco

Tomar uma xícara de café é mergulhar em uma história secular. Se você quer saber mais sobre essa paixão nacional, conhecer a respeito dos sabores e aromas complexos, além de descobrir os benefícios da versão orgânica, confira o artigo a seguir.

 

Café: a bebida que desperta

A bebida que hoje faz parte do nosso dia a dia ganhou notoriedade lá atrás por suas propriedades estimulantes. Afinal, a então infusão de cerejas fervidas em água tinha a capacidade de manter os monges despertos durante as rezas e vigílias noturnas, por volta do ano 1000.

 Mas eles não foram os pioneiros no uso do café como alimento estimulante. Os primeiros a descobrirem o poder da cafeína remontam a uma lenda curiosa.

Foi na Etiópia que um pastor de cabras chamado Kaldi observou o efeito das folhas e frutos de um certo arbusto em seu rebanho: os animais que mastigavam a planta ficavam mais ágeis e resistentes para subirem as montanhas. Não demorou para que ele próprio experimentasse e confirmasse tais resultados.

Logo essa fruta originária das terras quentes da África atravessou o Mar Vermelho. Por volta do ano 575, os habitantes da Península arábica dominaram a técnica de plantio e preparo do produto. Não à toa, a bebida ganhou o nome de “Kahwah” ou “Cahue”, palavra que significa “força” em árabe.

Mas foi na Turquia que o café passou a fazer parte dos hábitos sociais e ganhou o mundo. Seus sabores como conhecemos hoje vieram com o processo da torrefação, no século XIV.

  

Café: um novo convite para os sabores e aromas complexos

Hoje, os rituais ligados ao café contam novas histórias. A bebida se tornou assunto sério e um novo convite para a descoberta de sabores e aromas complexos, em cuidados que começam no plantio, passando pela torra e o modo de preparo na hora de consumir.No Brasil, maior produtor mundial do fruto, algumas regiões se destacam pela qualidade dos grãos, como Mogiana, sul de Minas Gerais, Cerrado Mineiro, Mantiqueira de Minas, Caparaó, entre tantas outras.

A região da Mogiana, no interior de São Paulo, por exemplo, é reconhecida pela excelência na espécie arábica, em mais de 200 anos de tradição. A temperatura amena, em torno de 20° C, e a altitude da área, que em geral varia entre 900 e 1000 metros, oferece condições ideais para que os grãos amadureçam de forma lenta e uniforme, conferindo características sensoriais complexas. O resultado é uma bebida suave e frutada, com toque ácido, naturalmente adocicada.

O sul de Minas Gerais é outro local de destaque, já que os cafezais se encontram em uma altitude entre 600m e 2000m, o que proporciona não só uma temperatura mais branda para seu desenvolvimento, como também uma maior concentração de minerais nos grãos.

 

Café orgânico: qualidade e sustentabilidade

Se você tem um paladar exigente ou está atento às atitudes socialmente responsáveis que colaborem para a preservação dos recursos naturais, não pense duas vezes: experimente o café orgânico.

O cultivo de café orgânico respeita o ritmo natural da terra e previne o esgotamento de recursos, sem utilizá-la à exaustão.

No lugar de agrotóxicos que podem gerar a contaminação dos rios, lagos e mares, a produção orgânica recorre a técnicas como o controle biológico, para promover o equilíbrio de pragas agrícolas e seres transmissores de doenças a partir do emprego de seus inimigos naturais.

Assim, ao manter uma microbiota do solo ativa e diversificada, capaz de estabilizar a matéria orgânica, permite a proliferação de insetos, fungos e outros microrganismos benéficos, criando condições de vida para muitas espécies que não sobreviveriam em plantios tradicionais e favorecendo a cadeia alimentar para animais maiores, como aves, répteis, anfíbios e mamíferos. Dessa forma, a produção orgânica colabora também para a biodiversidade, oferecendo condições para a manutenção da vida selvagem.

Além disso, a ausência de agrotóxicos gera uma bebida com características sensoriais marcantes, livre de substâncias nocivas associadas aos fertilizantes, como cobre, cromo, zinco e cádmio. 

 

Café orgânico Korin: 100% arábica

A Korin produz café orgânico 100% arábica, com grãos de alta qualidade, provenientes do sul de Minas Gerais e da região Mogiana, em São Paulo.

Cada etapa tem acompanhamento cuidadoso pelos produtores: o cultivo, a colheita, o processo de secagem, a seleção dos grãos e o processamento. Tudo para propiciar uma bebida encorpada, de acidez baixa e aroma marcante.

Para atestar a qualidade e cumprimento das normas da agricultura orgânica, a Korin submete sua produção à certificadora independente IBD.

Conheça aqui o café orgânico Korin.

—-

MARTINS, A. L. História do café. São Paulo: Contexto, 2012.

Experimente também: