Como a alimentação equilibrada pode ajudar na prevenção do diabetes

em 19 de jan de 2024

No artigo a seguir, você vai conhecer a relação entre o diabetes tipo 2 e a alimentação, além de dicas de prevenção.

O que é o diabetes?

Quando nos alimentamos, o corpo utiliza o açúcar obtido para a fabricação de energia. Para que isso possa ocorrer, é necessária a ação do pâncreas na produção e liberação de insulina. 

Esse hormônio entra em ação após a digestão para dar recado a respeito da glicose disponível às células, que permitirão sua absorção, retirando-a de circulação. 

Se o corpo não consegue fazer uso da insulina adequadamente ou é incapaz de produzi-la em quantidade suficiente para dar conta do açúcar liberado, ele permanece em grande quantidade na corrente sanguínea, o que é chamado de glicemia elevada. Esse quadro caracteriza uma patologia crônica conhecida como diabetes mellitus ou diabetes tipo 2.

Diferentemente do diabetes tipo 1, uma doença autoimune em que o próprio organismo produz anticorpos para destruir as células responsáveis por sintetizar a insulina, a tipo 2 está relacionada ao estilo de vida, como hábitos alimentares pouco saudáveis.

Qual a relação entre diabetes tipo 2 e alimentação?

Para entender e relação entre o diabetes e a alimentação, é preciso conhecer mais sobre índice glicêmico.

Os alimentos que consumimos são compostos por macronutrientes chamados proteínas, gorduras e carboidratos. Estes últimos estão presentes em abundância no dia a dia, em uma infinidade de itens.

Quer alguns exemplos? Massas, doces, arroz, batata, frutas, legumes e laticínios são formados em sua maioria por carboidratos. Isso significa que são capazes de proporcionar energia rapidamente, alterando a quantidade de açúcar no sangue. 

A velocidade com que a glicose fornecida pelos alimentos chega à corrente sanguínea, modificando a taxa de glicemia, é conhecida como índice glicêmico.

Na prática, os carboidratos refinados, ou seja, aqueles que perderam grande parte de seu valor nutricional durante a fabricação, possuem índice glicêmico elevado, já que praticamente não contam mais com as fibras em sua composição.

Manter uma alimentação com predominância de itens de alto índice glicêmico faz com que ocorram picos de glicose e, consequentemente, de insulina. Quando isso ocorre de forma recorrente, as células se tornam resistentes a esse hormônio, o que faz com que sejam necessárias cada vez mais doses dele para que o açúcar seja retirado de circulação. 

Esse quadro, chamado de resistência à insulina, está ligado à síndrome metabólica e diversos fatores relacionados ao desenvolvimento de diabetes tipo 2, obesidade e doenças cardíacas, etc.

O que o diabetes pode causar?

Com o passar do tempo, o diabetes pode levar a diversas complicações, como doenças renais, dificuldade na cicatrização de feridas, problemas cardiovasculares e de visão, entre tantas outras.

Confira as dicas para evitar o diabetes tipo 2:

1) Para fornecer as quantidades suficientes de proteínas, vitaminas, fibras, minerais e ácidos graxos essenciais ao bom funcionamento do organismo, prefira alimentos in natura ou que não tenham passado por inúmeras etapas de processamento e adição de diversos elementos, como aditivos químicos (corantes artificiais, emulsificantes, conservantes etc.)

2) Reduza o consumo de alimentos de alto índice glicêmico, como pães, massas e doces. Lembre-se: assim você evita que o pâncreas precise elevar a quantidade de insulina e os picos desse hormônio. Além disso, você também prolonga a sensação de saciedade e colabora para a manutenção do peso corporal.

3) Evite os ultraprocessados: embora práticos e de custo acessível, biscoitos, refrigerantes, guloseimas, refrescos, macarrão instantâneo, salgadinhos e pratos prontos, entre tantos outros, são alimentos pobres em nutrientes e possuem grande quantidade de açúcar, além do excesso de outras substâncias prejudiciais, como gordura trans e sódio.

4) Fique atento às bebidas em caixinha. Embora possam parecer saudáveis, sucos como a versão néctar contêm apenas até 50% de fruta. O restante da composição é à base de água, açúcar e substâncias como conservantes e aromatizantes.

5) Cuidado com as bebidas alcoólicas. O consumo de álcool pode afetar significativamente a taxa de glicemia.

6) Aposte em uma alimentação rica em fibras, como frutas, verduras, cereais integrais e sementes. As fibras solúveis formam uma espécie de esponja, um gel que absorve água e se mistura aos alimentos, removendo parte dos açúcares dos carboidratos.

7) Fique de olho nos rótulos. Eles são uma importante fonte de informação. Observe o que será consumido: desde outubro de 2022, as embalagens dos produtos industrializados devem indicar quando houver a presença de alto teor de açúcares adicionados, gorduras saturadas e sódio.

Além dos cuidados com a alimentação, pratique atividades físicas regularmente e não fume. 

Korin: qualidade em produtos para uma alimentação equilibrada

A Korin, empresa brasileira com excelência em orgânicos, oferece produtos para você manter uma alimentação equilibrada e saudável, como filé de frango, ovos, pescados e grãos.

Seguindo os preceitos da agricultura natural, a companhia preza pela produção de alimentos saudáveis e ricos em energia vital. 

Experimente também: