Como saber se um alimento é orgânico?

em 8 de mar de 2023

Aprenda a identificar os alimentos orgânicos e acerte na compra

Se você está em busca de uma alimentação saudável, já deve ter ouvido falar dos alimentos orgânicos.

Alimentos sem uso de agrotóxicos, transgênicos, metais pesados, antibióticos e adubos sintéticos, entre outras substâncias que, em excesso, podem levar a diversos problemas de saúde, os orgânicos também são comprometidos com princípios sustentáveis. 

Mas como ter certeza de que você está adquirindo um alimento seguro, produzido em conformidade com as práticas do manejo orgânico? Confira no conteúdo abaixo como saber se um alimento é orgânico.

 

Garantia da qualidade orgânica

Para serem comercializados, os orgânicos devem atender a uma série de exigências e estão sujeitos a um dos três mecanismos de garantia de qualidade: certificação por auditoria, certificação participativa ou vínculo com uma Organização de Controle Social (OCS).

Baseados na avaliação de riscos à segurança do consumidor ou ao meio ambiente, estes mecanismos estão submetidos ao Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade Orgânica (SISORG), órgão do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), que é responsável por identificar produtos e fiscalizar o mercado nacional de orgânicos.

 

Selo ORGÂNICO – SisOrg

Uma das garantias de que o consumidor está adquirindo produtos em conformidade com as práticas da agricultura orgânica é o selo SisOrg, selo ORGÂNICO obtido por meio da certificação por auditoria ou da certificação participativa.

A certificação por auditoria estabelece que uma certificadora, pública ou privada, credenciada pelo MAPA e acreditada pelo Inmetro, avalie se os requisitos para a produção orgânica estão sendo integralmente cumpridos.

Por meio de auditorias periódicas, funcionários especializados do MAPA, como engenheiros agrônomos, engenheiros de alimentos e veterinários, verificam o trabalho realizado pelas certificadoras.

Do escritório ao campo, analisam documentos como o Plano de Manejo Orgânico, que descreve toda a operação do agricultor; visitam as produções in loco, para checar se o que foi descrito na documentação está sendo cumprido; e avaliam a conformidade em relação à Lei nº 10.831, de 2003, que regulamenta a produção e comercialização de orgânicos no Brasil.

Caso seja verificada uma não-conformidade, sanções são aplicadas. Nesse caso, cabe ao produtor ou empresa responsável resolver as pendências para que o certificado seja emitido e o alimento possa ser liberado para comercialização como orgânico. Em situações mais graves, pode haver até mesmo a suspensão da certificação.

Também é possível encontrar no mercado os alimentos com o selo ORGÂNICO obtido por meio da certificação participativa.

Neste tipo de mecanismo, um grupo de pessoas, como agricultores e consumidores, por exemplo, se une para criar um registro no MAPA e formar um Organismo Participativo de Avaliação da Conformidade (OPAC), uma pessoa jurídica que avalia, verifica e atesta a conformidade com as normas da legislação.

 

Alimentos isentos do selo ORGÂNICO

Nem todos os produtos orgânicos levam o selo de certificação.

Para os alimentos comercializados diretamente pelos produtores em feiras e cestas em domicílios, por exemplo, não é exigido o certificado ORGÂNICO.

No entanto, nestes casos os agricultores familiares devem estar vinculados a uma Organização de Controle Social (OCS) grupos, associações, cooperativas ou consórcios cadastrada no MAPA ou em outros órgãos fiscalizadores conveniados do governo federal, estadual ou do Distrito Federal.

No local de comercialização, devem exibir, de forma acessível ao consumidor, a declaração de conformidade orgânica, uma garantia de que o alimento está de acordo com o exigido pela lei.

 

Origem e qualidade na palma da mão

Mais do que estarem adequados a diversas práticas, os orgânicos também são sinônimo de origem, qualidade e rastreabilidade, permitindo que se saiba quem e como os produziu.

Na Korin, os alimentos orgânicos estão submetidos à certificação por auditoria. Seguem requisitos técnicos estabelecidos pela legislação brasileira, e procedimentos e critérios reconhecidos internacionalmente.

Frango Orgânico Korin em bandeja: selos são garantia para consumidor.

Além do selo ORGÂNICO, nossos produtos também contam com certificações complementares, como:

  • IBD Não OGM – Maior certificadora da América Latina e única certificadora brasileira de produtos orgânicos com credenciamento aceito globalmente, a IBD é responsável por assegurar que a alimentação das aves da Korin não contém transgênicos;
  • Certificado WQS – atesta a criação sem nenhum antibiótico e a ausência de ingredientes de origem animal na alimentação;
  • Certificado HUMANE BRASIL – garante que a criação animal cumpre um protocolo rígido de bem-estar, incluindo nutrição equilibrada, abrigos, áreas de repouso e espaço adequado para manifestação dos comportamentos naturais da espécie;
  • Agricultura Natural Mokiti Okada – produzido segundo os preceitos da Agricultura Natural de Mokiti Okada, método que privilegia o perfeito equilíbrio entre a saúde humana, a preservação do homem no campo e o uso dos recursos naturais.
  • Selo NAAU – A certificação NAAU, sigla para Nenhum Antibiótico e Nenhum Anticoccidiano Utilizado, é uma iniciativa e parceria da Korin com a AVAL (Associação Brasileira da Avicultura Alternativa) e do CPMO (Centro de Pesquisa Mokiti Okada). A certificação foi desenvolvida para garantir produtos isentos de qualquer substância sintética que interfira de fora intencional na fisiologia do animal, aplicada na criação e ao longo da vida das aves.

Agora que você já sabe como identificar um alimento orgânico, aproveite para conhecer mais sobre os benefícios que eles oferecem, além da nossa linha completa de produtos.

LEIA TAMBÉM: ORGÂNICOS, BONS PARA A SAÚDE, PARA A ECONOMIA E PARA O PLANETA

Texto: Caroline Franco

Experimente também: