Atualmente, temos 3 sistemas de criação de frangos certificados: Sustentável (sem uso de transgênicos), Orgânico e Caipira. A diferença entre estes três sistemas é o manejo e a nutrição, havendo restrições quanto à linhagem apenas para as aves utilizadas na criação caipira. 

1) Frango sustentável sem o uso de transgênicos

No sistema de criação Sustentável, as aves recebem ração sem o uso de transgênicos e ingredientes de origem animal, sem uso de antibióticos, promotores de crescimento, quimioterápicos, anticoccidianos químicos e ionóforos 

As aves são criadas em galpões fechados, em densidade de, no máximo, 30 kg/m² e em ambiente controlado. 

Em cada granja, há produtores capacitados, responsáveis pela manutenção das condições adequadas de temperatura, umidade, distribuição da ração e sanidade das aves. 

Temos um técnico de campo que realiza visitas semanais anotando o andamento produtivo e sanitário em conformidade com nossas normas de produção, que além de uma série de parâmetros, verifica com muita acuidade os requisitos concernentes ao bem estar dos animais. 

Os frangos sustentáveis sem o uso de transgênicos são certificados como livres de antibióticos e ingredientes de origem animal na ração, pela WQS Certificações de Produtos Ltda., de acordo com as Normas para Produção, Abate e Controle Laboratorial de Frango Certificado Alternativo da Associação da Avicultura Brasileira – AVAL. 

2) Frango Orgânico Korin

Para um produto ser considerado orgânico, é preciso que o mesmo possua uma certificação que garanta que os procedimentos usados na produção estejam de acordo com os princípios básicos da criação ou cultivo orgânico. 

No caso do Frango Orgânico Korin, as aves recebem ração com ingredientes certificados orgânicos, sem ingredientes de origem animal e sem antibióticos. A ração fornecida às aves é produzida com ingredientes orgânicos, como o milho e o farelo de soja. 

O frango orgânico da Korin é produzido de acordo com a lei de nº 10831 de 23 de dezembro de 2003, chamada Lei dos Orgânicos. Também conta com um processo certificado, neste caso pelo IBD – Instituto Biodinâmico. O IBD é uma instituição certificadora afiliada à IFOAM (Fundação Internacional dos Movimentos da Agricultura Orgânica) e acreditada internacionalmente para auditorias de produção orgânica. 

As aves são criadas em sistema semi-confinado, permanecendo nos galpões até os 25 dias de idade para que possam ser aquecidas e protegidas das correntes de ar. Quando atingem a idade de 25 dias passam a ter acesso a uma área de pastejo (área de piquetes), sendo soltas no período da manhã e recolhidas no período da tarde. É importante ressaltar que mesmo no período em que estão soltas, as aves têm livre acesso à ração e à água que estão disponíveis dentro do galpão. 

3) Frango Caipira Korin

Frango de linhagem exclusiva para esse fim,  criados em sistema com acesso a áreas externas para pastejo, exercícios e manifestação de comportamentos inerentes à espécie, e que se alimentam com ração constituída por ingredientes, preferencialmente, de origem vegetal, sendo proibido o uso de melhoradores de desempenho de base antibiótica. Apenas linhagens ou raças de aves de crescimento lento (superior a 70 dias) serão aceitas com esta denominação. 

Assim como nas criações de frango sustentável sem uso de transgênicos e orgânico, as aves caipiras também não recebem antibióticos, promotores de crescimento, quimioterápicos, anticoccidianos químicos e ionóforos e a ração não contém ingredientes de origem animal. 

As aves (orgânicas e caipiras) são criadas em galpões fechados, em densidade de, no máximo, 10 kg/m² até os 25 dias de idade e, após isso, passam a ter acesso a uma área de pastejo (área de piquetes), sendo soltas no período da manhã e recolhidas no período da tarde, tendo livre acesso à ração e à água, disponíveis dentro do galpão. 

Korin conquistou a certificação de bem-estar animal da HFAC – Humane Farm Animal Care, um protocolo de certificação conferido às empresas produtoras que implantam e seguem normas bastante rigorosas com relação ao bem-estar animal. Tanto o sistema de criação e abate de frangos de corte sustentávelorgânico e caipira como o de criação de galinhas de postura AF (produção de ovos) são certificados pela HFAC – bem-estar animal) e WQS (livres de antibióticos e ingredientes de origem animal na ração). 

Todos os nossos produtos atendem a rigorosos padrões de qualidade, onde garantimos aos nossos clientes a conformidade com as Normas e Padrões descritos para cada processo produtivo. 

A utilização de hormônios na criação das aves é proibida (Decreto Nº 76986, DE 06 DE JANEIRO DE 1976) e, por isso, não são realizadas aplicações em nenhum sistema de criação (nem no sistema convencional e nem no sistema da Korin). 

O frango Korin, além de não receber hormônios, não recebem antibióticos, promotores de crescimento, quimioterápicos, anticoccidianos químicos e ionóforos e a ração não contêm ingredientes de origem animal nem grãos transgênicos. 

Korin possui duas linhas de ovos:

  1. Ovos de aves criadas sem uso de grãos transgênicos: Não são orgânicos, pois os ingredientes (milho e soja) utilizados para a produção da ração das galinhas, não são orgânicos, porém são grãos que não receberam transgenia. Estes ovos são provenientes de aves que não recebem nenhum tipo de antibióticos (quimioterápicos e promotores de crescimento), anticoccidianos e a ração é isenta de ingredientes de origem animal sem o uso de grãos transgênicos.  As aves possuem liberdade para expressar seu comportamento natural como: bater asas, coçar, tomar banho de areia, correr e empoleirar. Pois são criadas soltas dentro do galpão, livre de confinamento em gaiolas, possuem ninhos para realização da postura, poleiros e acesso área de piquetes. Tais características permitiu que a empresa conseguisse a certificação em Bem-Estar Animal, pela certificadora ECOCERT BRASIL (norma Humane Animal Care). 
  2. Ovos Orgânicos: Seguem o mesmo sistema de criação do livre de antibióticos. O diferencial é que as aves consomem somente ração de origem orgânica certificada, como exige a Lei de Orgânicos do Brasil ( lei de nº 10831 de 23 de dezembro de 2003).

A coloração da gema varia de acordo com as quantidades de substâncias pigmentantes ingeridas pelas galinhas 

Essas substâncias estão presentes no milho, principal ingrediente da ração fornecida as aves e também em níveis que variam de acordo com a época do ano.  

Korin não realiza a adição destes pigmentantes na ração, por isso a coloração da gema varia, mas isto não altera os níveis nutricionais do ovo e não o desqualifica para o consumo. 

O ideal é que o produto resfriado seja mantido na temperatura de 0°C a 4°C, mantendo assim a validade de 10 dias, conforme indicação que consta no rótulo.  

Não é possível garantirmos que o produto resfriado, sendo congelado na residência do consumidor, tenha a mesma validade do produto congelado na indústria (1 ano), pois o congelamento adequado deve ser feito logo após o processamento e de forma rápida a temperaturas muito baixas, pois dessa forma serão mantidas as propriedades nutricionais e não haverá o crescimento de microrganismos.

Korin possui a linha de produtos congelados, que são ideais para o consumidor que deseja armazená-los por mais tempo, pois tem validade de 1 ano. 

A comparação entre o preço final do varejo do frango criado sem uso de transgênicos e antibióticos com o convencional é uma questão complexa, mas alguns aspectos econômicos precisam ser considerados pelo consumidor: 

  1. A criação do frango sem uso de transgênicos e antibióticos é certificada pela WQS (World Quality Services) como livre de antibióticos e ingredientes de origem animal na ração, de acordo com as Normas para Produção, Abate e Controle Laboratorial de Frango Certificado Alternativo da Associação da Avicultura Brasileira – AVAL e isso incorre em custos geralmente mais elevados do que as propriedades que produzem o frango no sistema convencional (esta com ganhos de grande escala, maior produtividade, menor uso de mão-de-obra, sem a obrigação da preservação ambiental/ responsabilidade social e sem custo de certificação anual); 
  2. Os produtores de aves são pequenos e médios proprietários, integrados à Korinque cuidam de lotes pequenos (10.000 – 30.000 aves) e o abatedouro abate diariamente 24.000 frangos. Daí, tem-se uma idéia do cuidado dispensado pelos nossos colaboradores aos produtos que fabricamos, importantes neste sistema de criação diferenciado. 
  3. A ração do frango criado sem uso de antibióticos é feita à base de milho e soja selecionados, sem uso de antibióticos terapêuticos e antibióticos como melhoradores de desempenho. 
  4. Devido ao sistema de criação sem uso de antibióticos, a idade média de abate do frango Korin é de 46 dias, maior que a idade de abate do frango convencional. 
  5. Korin, de modo geral, não realiza venda direta aos consumidores (a não ser em sua rede de lojas), mas comercializa o frango a redes varejistas e lojas que têm sua política de preços para produtos diferenciados. E, certamente, a Korin não tem influência na margem aplicada aos seus produtos pelas redes e lojas; 

Ciente das expectativas dos consumidores, a Korin vem desenvolvendo iniciativas para tornar seus produtos mais acessíveis, na medida em que busca incessantemente a melhoria de seus processos e o crescimento sustentável. Uma empresa mais eficaz e produtiva, alinhada aos ideais de Mokiti Okada, terá condições de oferecer mais opções de compra. 

Esclarecemos que todas as embalagens da Korin têm declaração de seus diferenciais de qualidade, para que o consumidor reconheça esses atributos intrínsecos aos produtos.