Marca categoriza novas linhas e traz o inédito selo NAAU – Nenhum Antibiótico e Nenhum Anticoccidiano em sua produção

A Korin Alimentos, pioneira na América Latina em certificações de produtos sem o uso de antibióticos e com bem-estar animal, inova mais uma vez e apresenta seu novo posicionamento, dando início a um ponto de virada da marca dentro do mercado alimentício brasileiro.

O primeiro passo da companhia nesta nova fase será a maior proximidade entre a Korin Alimentos e o cliente, categorizando suas linhas em três submarcas: Que tal?  porta de entrada para o consumidor conhecer os produtos Korin; Boa pedida, que consolida o trabalho pioneiro que a empresa vem fazendo ao longo dos anos no segmento da saudabilidade, tornando a linha mais ampla e com mais opções de produtos; e a Linha de Orgânicos, em que a empresa já atua há quase 28 anos e na qual é referência no Brasil.

Segundo levantamento realizado pela agência Pande, responsável pelo reposicionamento da marca, essa subdivisão facilita o entendimento do consumidor sobre o tipo de alimento que ele está consumindo e possibilita a entrada daqueles que consomem produtos convencionais por meio de produtos práticos e, ao mesmo tempo, com produção diferenciada. Daí o nome “Que Tal?”, por exemplo, que chega como uma sugestão para o consumidor experimentar e saborear os produtos da Korin, trazendo mais bem-estar e sabor ao seu dia a dia.

Para Luiz Carlos Demattê Filho, CEO da Korin Alimentos, a marca se diferencia por seguir a filosofia de Mokiti Okada, que preconizou a Agricultura Natural, método agrícola sustentável que respeita o agricultor, vivifica o solo e não utiliza adubos químicos, antibióticos e anticoccidianos na produção. “Agora, a Korin passa a deixar ainda mais evidente a mensagem dos seus diferenciais para o consumidor. Estamos neste segmento há 27 anos e, quando começamos, o mercado de saudáveis e orgânicos era praticamente inexistente; não havia uma preocupação da sociedade sobre a procedência dos alimentos servidos à mesa, como acontece hoje”, explica.

Além das novas categorias, as embalagens ganham roupagem inédita com ilustrações artísticas, uma vez que a contemplação do belo também faz parte da filosofia de Mokiti Okada, criador da Agricultura Natural seguida pela Korin. A estreia acontece com as embalagens de ovos, que trazem técnicas como sumiê e aquarela, que traduzem visualmente a essência da Korin e que contemplam estampas com obras de Tina Vieira, primeira artista plástica a assinar a linha Korin Orgânica.

Ainda dentro das inovações, a Korin traz nas linhas de ovos o selo NAAU – com apoio da AVAL (Associação Brasileira da Avicultura Alternativa) e do CPMO (Centro de Pesquisa Mokiti Okada). O selo, que traz na sigla o significado ‘Nenhum Antibiótico e Nenhum Anticoccidiano Utilizado’, foi desenvolvido para garantir ao consumidor produtos isentos de qualquer substância sintética aplicada na criação e ao longo da vida dos animais, inclusive as permitidas por lei.

Muito antes de se tornar prioridade na indústria animal, a Korin já desenvolvia um método de criação livre de antibióticos e anticoccidianos, prezando sempre pelo bem-estar animal graças à sua ligação com a filosofia da Agricultura Natural.

Os ovos são os primeiros produtos a levarem a certificação e podem ser encontrados nas versões Linha Boa Pedida, sendo caipira com 10, 20 ou 30 unidades e Linha Orgânica, caipira com 6, 10 e 20 unidades.