O que é a Salmonella?

em 9 de abr de 2024

Confira dicas de como evitá-la!

Saiba mais sobre o preparo adequado de frangos e ovos.

Por Karen Longo (Consultora em Nutrição Korin).

Salmonella (Salmonellose) é uma bactéria da família das Enterobacteriaceae que possui duas espécies causadoras de doenças em humanos: Salmonella enterica e Salmonella bongori.

Salmonella está dispersa no meio ambiente e pode ser ingerida por meio de alimentos contaminados com fezes de animais, o que acontece, por exemplo, ao se comer carnes e ovos crus ou mal passados ou quando não se lava as mãos antes de cozinhar ou manipular alimentos.

Também pode ser transmitida pelo contato com água contaminada.

A bactéria é encontrada normalmente em animais como galinhas, porcos, répteis, anfíbios, vacas e até mesmo em animais domésticos, como cachorros e gatos.

Dessa forma, qualquer alimento que venha desses animais ou que tenha entrado em contato com suas fezes, mesmo que pelas partículas do ar, são consideradas vias de transmissão da Salmonella (salmonelose não tifoide).

Os principais sinais e sintomas da infecção por Salmonella (salmonelose não tifoide) são:

  • Diarreia;
  • Vômitos;
  • Febre moderada;
  • Dor abdominal;
  • Mal estar geral;
  • Cansaço;
  • Perda de apetite;
  • Calafrios.

A carne de animais de consumo, o leite e os ovos são os principais veículos de transmissão de Salmonella.

Estes alimentos, quando insuficientemente cozidos, permitem a sobrevivência da bactéria.

As salmonelas conseguem crescer em ambientes com temperaturas entre 5°C e 46°C e têm uma temperatura ótima de crescimento em torno de 38°C, são extremamente resistentes resfriamento e congelamento. Mas são destruídas quando submetidas a um tratamento térmico acima de 70º C.

Além de alimentos de origem animal, outros alimentos que têm sido associados a surtos de salmonelose como: molhos de salada preparados com ovos não pasteurizados, misturas de bolo e sobremesas que contêm ovo cru.

 

Previna-Se!

Sendo a Salmonella uma bactéria termossensível, o frango deve ser cozido em temperatura ideal e por tempo suficiente. Além disso, é necessário estar atento à manipulação da carne na indústria e na casa do consumidor: na geladeira, por exemplo, a bactéria pode chegar a outros alimentos e, no preparo, pode contaminar a tábua ou as mãos do cozinheiro.

É possível evitar a infecção por Salmonella mantendo os alimentos limpos e também cuidando da própria higiene. Aqui estão as dicas:

  • Lave as mãos antes de preparar a sua comida e de comê-la, bem como depois de usar o banheiro.
  • Mantenha ambientes limpos e alimentos em boa temperatura. Use água potável no preparo da sua comida.
  • Beba leite pasteurizado e/ou fervido. As leis brasileiras proíbem a venda de leite não pasteurizado.
  • Cozinhe bem a carne bovina, suína ou de aves.
  • Evite a contaminação cruzada ao preparar a comida, utilizando no momento do preparo, tábuas, facas e utensílios diferentes para carnes cruas e para vegetais e alimentos que serão consumidos crus.
  • Limpe as pias e bancadas de forma regular.
  • Fuja de lanchonetes e restaurantes em más condições de higiene e conservação.

 

 

Para o preparo de ovos e frangos tenha sempre os seguintes cuidados:

 

  • Consuma sempre ovos e carnes de frango bem cozidos;
  • Ovos devem ser cozidos por pelo menos 5 minutos de fervura;
  • Para ovos fritos, o ponto mínimo ideal é que a gema fique firme;
  • Não lave os ovos para armazenar. Pois sua casca é porosa e esse procedimento permite trocas entre o conteúdo interno e do exterior;
  • Para preparações sem cocção, tais como maionese, cremes, mousses, utilize ovos pasteurizados, desidratados ou cozidos;
  • Ao manipular carnes de frango crua para o preparo, esteja atento para não utilizar os mesmos utensílios como: tábua, facas, vasilhas – com outros alimentos que serão servidos crus, sem antes higienizá-los muito bem. Pois isso pode causar o que chamamos de contaminação cruzada.
  • Garanta a cocção das carnes de frango de forma correta, atingindo 70º C no centro da carne.

Experimente também: