O que você precisa saber sobre: colesterol

em 7 de ago de 2023

Por Karen Longo (nutricionista e consultora em nutrição Korin)

O colesterol é um conjunto de gorduras necessário para o organismo exercer algumas funções, como a produção de determinados hormônios. Portanto, precisamos dele, mas é preciso produzi-lo de forma equilibrada para manter as taxas regulares.

Há dois tipos de colesterol: o HDL, considerado “colesterol bom”, e o LDL, denominado de “colesterol ruim”. Cada grupo pode contribuir para a redução ou aumento dos índices.

Quando em desequilíbrio no organismo, o colesterol torna-se fator de risco vascular, e aumenta a incidência de AVC, de morte súbita e doença coronariana. As doenças cardiovasculares são as principais responsáveis pelos óbitos registrados anualmente no Brasil. O desenvolvimento dessas doenças está associado a diversos fatores de risco, tais como: obesidade, aumento do colesterol, pressão alta, diabetes e tabagismo, que podem ser controlados com alimentação saudável e prática de atividades físicas.

Além desses fatores, a hereditariedade pode determinar um colesterol alto mesmo em pessoas que tenham hábitos saudáveis, por isso, além da prática de atividade física e da alimentação equilibrada é importante verificar regularmente as taxas de gordura no sangue e adequar estilo de vida e alimentação que auxiliem no equilíbrio dessas taxas.

Alimentos que auxiliam no equilíbrio do colesterol

Alguns alimentos, contendo gorduras do tipo “ácido graxo monoinsaturado”, as que são as gorduras chamadas MUFAs, em sua composição, auxiliam na síntese de HDL, que é uma parte do colesterol considerada protetora.

Isso porque o HDL tem no organismo um efeito antioxidante e protetor que auxilia na prevenção de formação de placas que trazem os problemas vasculares citados acima.

Além da prática de atividade física, que auxilia na elevação de HDL alguns alimentos contendo Ácido Graxo Monoinsaturado, auxiliam nesse sentido.

São alimentos fonte de Ácido graxo monoinsaturado:

  • Azeite de oliva extravirgem;
  • Abacate;
  • Oleaginosas: Nozes, Castanha de Caju, Castanha do Pará, Macadâmia.

Por outro lado, alimentos fonte de gordura ômega 3, não interferem diretamente no índice de colesterol que aparece nos exames. Mas graças a seu efeito anti-inflamatório, se torna um alimento protetor contra a oxidação de moléculas de LDL já presentes na circulação, o que impede a formação de placas que causam problemas vasculares.

São alimentos fontes de ômega 3:

  • Peixes como: Truta, Sardinha
  • Semente de linhaça, Semente de chia
  • Algumas PANCs, como: Beldroega, Moringa

Ovo aumenta o colesterol?

Assim como outros alimentos de origem animal, que contém colesterol em sua composição, o ovo por muitos anos foi considerado um alimento fonte de colesterol, portanto um vilão nesse cuidado de saúde.

Porém, com o avanço dos estudos fisiológicos, bioquímicos e moleculares, constatou-se que a formação de placas de gordura associada às doenças vasculares, se dava através de processos inflamatórios nas artérias, causados por baixa proteção anti-oxidante e excesso de carboidratos refinados, além da presença de substâncias xenobióticas inflamatórias.

Portanto, para o consumo de ovos, pele de aves, bovinos e outros alimentos de origem animal, que contém colesterol em sua composição, é importante o cuidado com a procedência de criação dos animais em questão, desde os medicamentos utilizados até o tipo de alimentação oferecida aos animais. Pois o resíduo das substâncias tóxicas estarão presentes na parte gordurosa do alimento: tanto em ovos, como peles, carnes e lácteos, o que aumenta o potencial inflamatório e portanto maior risco de formação de placas de gordura na circulação.

O consumo de ovos, assim como partes gordurosas de outros alimentos de origem animal provindo de criação sustentável, isenta de xenobióticos e  com oferta de alimentação natural, se torna seguro no processo de prevenção ao aumento de colesterol.

Referências:

Ministério da Saúde. Blog da Saúde

Sociedade Brasileira de Cardiologia

Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia

Experimente também: