Pescados sustentáveis: quais as diferenças?

em 3 de abr de 2024

Conheça os pescados sustentáveis e suas principais características

 

Se você busca uma alimentação saudável e está considerando os benefícios do consumo de peixes no dia a dia, precisa conhecer os pescados sustentáveis, que além de fazerem bem à saúde, prezam pela preservação dos recursos naturais.

No artigo a seguir, apresentamos as principais diferenças entre os pescados sustentáveis e os convencionais, e quais os maiores benefícios dos pescados Que Tal? Korin.

Por que apostar no consumo de peixes?

Os peixes são fonte saudável de proteínas magras, digeridas com facilidade pelo organismo, o que faz deles uma ótima opção até nos dias mais quentes, quando a digestão se torna mais lenta e a ingestão de comidas pesadas exige muito do organismo, podendo levar a desconfortos, azia e cansaço.

Além disso, são ricos em nutrientes como ômega 3, vitamina B12 e minerais essenciais.

Temos um artigo para você conhecer todos os benefícios do consumo de peixes. Clique Aqui!

 

O que é um pescado sustentável?

Os alimentos sustentáveis são aqueles cujos processos ligados à produção, embalagem e distribuição, buscam reduzir os impactos ambientais, sem deixar de levar em conta o desenvolvimento econômico regional e o bem-estar dos consumidores e dos animais.

Assim, o pescado sustentável é um alimento comprometido com a saúde humana, os ecossistemas aquáticos e a preservação da natureza.

Isso significa que diversas práticas realizadas na criação convencional são revistas e modificadas em prol dos pilares econômico, social e ambiental da sustentabilidade. Quer alguns exemplos? Confira abaixo.

 

Pescados sustentáveis: quais as diferenças?

Pescados sustentáveis: prevenção e tratamento de doenças

A aquicultura convencional se utiliza de antibióticos em larga escala para controlar doenças causadas por infecções bacterianas. Nem sempre os tratamentos zelam para combater uma determinada espécie, empregando assim medicamentos voltados para uma ampla gama de bactérias, aptos a suprimir somente uma parcela destas populações.

Na prática isso significa que os microrganismos sensíveis ao fármaco utilizado acabam eliminados, enquanto outros podem se modificar em resposta à medicação e ganhar mais força para se proliferarem, tornando-se bactérias resistentes, capazes de afetar a saúde humana.

O tratamento de enfermidades no manejo sustentável varia de acordo com os produtores, que podem ou não utilizar antibióticos, geralmente em pequena escala.

Na criação de tilápias sustentáveis da Korin, por exemplo, o combate às bactérias e doenças se dá por meio de probióticos, prebióticos, simbióticos, imunoestimulantes naturais e vitaminas. Mais do que defender contra patologias, é preciso manter os animais saudáveis. Por isso, são aplicados tratamentos homeopáticos, fitoterápicos e vacinas, além de se zelar por uma alimentação equilibrada e de qualidade.

 

Pescados sustentáveis: alimentação e preservação ambiental

Não é incomum a criação convencional utilizar rações mais baratas, compostas por ingredientes de baixa digestibilidade, que acabam não sendo absorvidos e terminam liberados nas fezes dos peixes.

O acúmulo de nutrientes dissolvidos na água leva ao aumento da quantidade de algas e cianobactérias. Como consequência, há uma baixa oxigenação e redução da passagem da luz para as partes mais fundas dos criadouros, onde vivem outras espécies de plantas que fazem fotossíntese, impactando os ecossistemas aquáticos. O resultado da chamada eutrofização é a morte de diversos animais e vegetais.

A criação de peixes Korin utiliza rações balanceadas e sustentáveis, feitas pelos próprios piscicultores a partir de ingredientes de fontes responsáveis, evitando a eutrofização dos corpos hídricos e perda da vida aquática.

 

Pescados sustentáveis: bem-estar animal

Os cuidados com o bem-estar dos peixes são outro diferencial na produção sustentável. Na Korin, os animais são criados livres de fome, desconfortos, dor, injúrias e doenças. Eles vivem em ambientes amplos, sem superlotação, e seu manejo no dia a dia é feito por colaboradores capacitados para evitar qualquer tipo de estresse.

 

Pescados sustentáveis Korin: Agricultura Natural

Truta e Tilápia sustentáveis

Os pescados sustentáveis Korin são produzidos de acordo com os preceitos da Agricultura Natural, método idealizado por Mokiti Okada (Japão,1882-1955) como alternativa para os problemas decorrentes da prática da agricultura convencional, na década de 1930, especialmente no que diz respeito ao uso excessivo de agroquímicos na terra.

É responsável por promover a associação entre os valores ecológicos e sociais para resgatar a pureza do solo e dos alimentos, manter a diversidade e o equilíbrio biológico, além de contribuir para melhorar a qualidade de vida dos seres humanos.

 

Filé de tilápia Que Tal? Korin

As tilápias da linha sustentável Que Tal? vivem em tanques submersos às margens do rio Paraná, no município de Ilha Solteira, divisa entre São Paulo e Mato Grosso do Sul.

Unindo técnicas avançadas de aquicultura aos preceitos da Agricultura Natural, a Korin cria os animais sem quaisquer tipos de antibióticos, sejam eles de uso terapêutico ou melhoradores de desempenho.

Além disso, os peixes são livres de hormônios para reversão sexual, uma prática comum na produção convencional que busca aumentar a produtividade por meio da ampliação da quantidade de machos nos criadouros.

Os filés de tilápia sustentável Korin estão disponíveis em embalagens de 450g. Confira onde encontrar.

 

Filés de truta branca e de truta arco-íris Que Tal? Korin

Livres de corantes e hormônios, as trutas Korin, da linha Que Tal? são criadas de forma sustentável, em meio à Serra da Mantiqueira, Minas Gerais.

A produção é voltada para duas espécies: a truta branca e a arco-íris, cujo nome é atribuído por conta da sua coloração. Diferentemente da produção convencional, que obtém o tom rosa por meio da adição de pigmentantes artificiais na alimentação dos animais, a Korin acrescenta à ração carotenoides naturais, pigmentos encontrados em diversas plantas.

Estas substâncias são potentes antioxidantes, responsáveis por colaborar para a saúde humana, auxiliando na prevenção do diabetes e de doenças cardiovasculares.

Os animais vivem em tanques de água fria, em condições controladas para garantir seu bem-estar. Pertencentes à família dos salmonídeos, a mesma dos salmões, as trutas são ricas em ômega 3, um ácido graxo que não é produzido naturalmente pelo corpo humano e tem papel fundamental na ação anti-inflamatória.

Os filés de truta sustentável Korin estão disponíveis em embalagens de 500g. Confira onde encontrar.

Experimente também: