Quais os principais benefícios nutricionais do Arroz Integral Orgânico Korin

em 11 de jun de 2024

Karen Longo (Consultora em Nutrição Korin)

 

O arroz integral vem ganhando cada vez mais lugar e simpatia na escolha alimentar dos brasileiros.

Vamos entender seus benefícios nutricionais e cuidados importantes que devemos ter na escolha do tipo de arroz, para usufruir do arroz integral da melhor forma.

Para ser integral, um grão ou cereal não pode passar por um processamento intenso, de forma a conservar estruturas externas, como películas e cascas.

Em consequência, o alimento preserva melhor as suas propriedades nutricionais:

  • A versão integral conserva uma quantidade expressiva de nutrientes, que seriam perdidos no refinamento, como: magnésio, ferro, zinco, manganês e vitaminas do complexo B.
  • O arroz integral contém fibras, o que contribui muito para o processo de digestão, melhorando a saciedade e trazendo mais controle ao apetite
  • Melhora o funcionamento intestinal, auxiliando na formação do bolo fecal adequado quanto nos movimentos de perístaltismo.
  • Devido à quantidade de fibras e aos minerais presentes conservados em seus grãos, o arroz integral é um ótimo aliado para controlar os níveis de açúcar no sangue, pois sua absorção é mais lenta e o metabolismo do carboidrato que ele contém acontece de fora adequada, prevenindo e auxiliando no controle de diabetes
  • Também devido ao alto teor de fibras do arroz integral, no momento da digestão é formado uma substância semelhante a um gel no estômago, que também reduz a absorção das gorduras ingeridas na refeição. Assim ele ajuda a controlar os níveis de colesterol LDL (“ruim” e triglicerídeos que passam para o sangue.

Contudo, para que seja verdadeiramente vantajoso para a saúde, usufruir de todos esses benefícios, o método de cultivo do arroz influencia diretamente. Pois atualmente o cultivo de arroz em métodos convencionais de produção recebe uma quantidade muito alta de agrotóxicos, que ficam impregnados na casca que envolve o grão, em grande quantidade.

Nesse caso, em se tratando de arroz de cultivo em método convencional, a versão integral acaba se tornando mais tóxica ao ser humano.

Segundo a última avaliação do PARA – Programa de resíduos de agrotóxicos em alimentos, realizada entre os anos de 2017 e 2018, a quantidade de resíduos de agrotóxicos em alimentos vem crescendo, comparada ao relatório anterior.

Esse relatório mostrou que das amostras de arroz – 33% continham resíduos de agrotóxicos, chegando a 5% com resíduos de agrotóxicos proibidos no Brasil ou acima do limite permitido.

Essas informações encontram-se de forma ilustrada no Atlas dos Agrotóxicos 2024, publicado em segunda edição esse ano.

Portanto, para que os benefícios do arroz integral sejam realmente bem aproveitados pelo organismo, sem aumentar a toxicidade impregnada nos grãos, é importante que a escolha seja para grãos produzidos em agricultura orgânica.

Experimente também: