Bem-Estar Animal

A preocupação dos consumidores com o bem-estar animal cresce no mundo todo, o que vem fazendo com que as indústrias de alimentos se adaptem para oferecer produtos que, de fatotenham o objetivo respeitar a vida e o bem-estar dos animais. 

Na Korin, o bem-estar animal é inerente à filosofia da empresa desde a sua fundação, em 1994quando começou a desenvolver criações que priorizam total respeito aos animais e ao meio ambiente 

A empresa foi a primeira do Brasil a conquistar a certificação da HFAC – Humane Farm Animal Care – Protocolo de certificação conferido às indústrias que implantam e seguem normas rigorosas com relação ao bem-estar animal. 

 

O que é “Bem-Estar Animal”? 

O conceito de bem-estar animal refere-se à boa qualidade de vida do animal de produção e engloba aspectos como a saúde, a felicidade e longevidade. 

Trata-se de um estado de completa saúde física e mental, em que o animal está em harmonia com o ambiente que o rodeia e vive. 

Na prática, abrange manejos que visam preservar os comportamentos naturais do animal, sem agredi-lo, preservando sua integridade.  

 

Em resumo, são cinco os pontos que constam na Declaração Universal do Bem-Estar Animal: 

 

  1. Liberdade Fisiológica – ausência de fome e sede (alimentação = quantidade + qualidade); 
  1. Liberdade Ambiental – ausência de desconforto térmico ou físico (instalações e ou edificações adaptadas); 
  1.  Liberdade Sanitária – ausência de injúrias e doenças (física ou moral) 
  1. Liberdade Comportamental – possibilidade para expressar padrões de comportamento naturais. O ambiente deve permitir e oferecer essas condições; 
  1. Liberdade Psicológica – ausência de medo e ansiedade. O animal não deve ser exposto a situações que lhe provoquem angústia, ansiedade, medo ou dor. 

 

Todas essas práticas são auditadas por certificadoras independentes, caso da HFAC. 

 

Como é o bem-estar animal na Korin 

Os Frangos Livres de Transgênicos, Orgânicos, Caipira e as galinhas poedeiras (ovos) da Korin, estão inseridas nas práticas de bem-estar animal mesmo antes da criação de uma regulamentação sobre o tema no Brasil. 

No caso das galinhas poedeiras (que botam ovos), as aves têm liberdade para expressar seu comportamento natural; 

Estão livres de dor e sofrimento e vivem em um ambiente adequado para seu desenvolvimento: densidade de alojamento de 7 aves/m². Dessa forma, as aves têm liberdade suficiente para andar, correr, brincar, ciscar e tomar banho de areia;  

As galinhas botam seus ovos em ninhos individuais, podem empoleirar e estão livres de gaiolas por toda a vida; 

As aves têm à disposição folhas e verduras com intuito de entretê-las, como se fossem as plantas encontradas na natureza; 

Também contam com acesso à área de piquetes quando atingem a idade de 25 semanas e à área de isolamento (local para manter as aves doente, feridas e chocas isoladas das demais, para recuperação). 

Para finalizar, estabelecem relações sociais e hierárquicas que promovem sensação de segurança nos lotes. A harmonia resultante se traduz em saúde e vigor dos animais e na qualidade dos ovos produzidos. 

 

Bemestar animal em peixes 

A produção e o abate de peixes que trazem a marca Korin devem levar em consideração as cinco liberdades, adotadas pela FAWC (Farm Animal Welfare Council) do Reino Unido, onde os animais devem estar:  

1) livres de sede, fome e má nutrição;  

2) livres do desconforto (oferecimento de condições que não causem danos aos animais e oferecimento de ambientes que tenham as condições adequadas a espécie);  

3) livres da dor, injúria e doença (através da prevenção ou rápido diagnóstico e tratamento);  

4) livres para expressar seu comportamento normal (através do fornecimento do espaço suficiente e instalações adequadas);  

5) livres da aflição e medo (assegurando condições que evitem o sofrimento mental) (Webster, 1998). 

 

O programa de bem-estar animal em pescados inclui o fornecimento de espaço, com plano de prevenção de doenças, fome, estresse e dor, designando um funcionário responsável pelo controle das operações; possuir e manter instalações físicas adequadas para o manejo responsável dos animais, minimizando os riscos de acidentes; assegurar que todos os procedimentos sigam os princípios de Bem-Estar Animal; assegurar que objetos cortantes ou que possam causar ferimentos não sejam utilizados no manejo dos animais; implantar treinamentos periódicos dos trabalhadores e envolvidos no processo quanto às práticas corretas contemplando o Bem-Estar dos animais. 

O processo de captura e transporte dos peixes deve ocorrer com planejamento prévio, conduzido para que seja garantido que não haja aflição ou desconforto desnecessário aos peixes.   

 

Fonte: http://www.agricultura.gov.br/animal/bem-estar-animal 

 

Bem-estar animal em bovinos 

Alimentando-se de grãos para ganho de peso somente nos últimos meses de vida, o sistema de produção de bovinos da Korin permite a redução de 90% de vermífugos utilizados em produções convencionais. 

O rebanho convive em harmonia com a fauna e flora regional e não recebe antibióticos e hormônios. O uso de vermífugos acontece somente de forma estratégica. Além disso, o boi é livre de confinamento e convive com espécies selvagens nativas, como o porco monteiro, veado galheiro e campeiro, emas, tatus e tuiuiús. Assim, cada novilha tem um espaço de 03 hectares para expressar seu comportamento natural e se alimentar, como os demais animais. 

Estudos indicam que 98% dos recursos naturais utilizados na produção são renováveis, caracterizando a pecuária do Pantanal como um sistema sustentável. De acordo com a Embrapa – Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, a atividade além de não agredir o meio ambiente, preserva o Pantanal e promove a inclusão social das famílias pantaneiras. 

O gado é considerado o “bombeiro do Pantanal”, por se alimentar do pasto que fomentaria as queimadas anuais da região. O fato da Korin trabalhar com novilhas, garante aos produtores uma melhoria de sua renda, uma vez que os machos tem comércio garantido, enquanto as fêmeas não atingem o mesmo valor comercial.